O desafio da alfabetização

 

Alfabetização! Nunca pensei que seria tão difícil. Quem sabe ler e escrever desde pequeno, nem lembra como aprendeu e não imagina como é não saber. Com certeza somos privilegiados em um país com uma educação tão ruim como o Brasil. Bom, chegou a vez de o meu filho aprender, não está sendo fácil e eu só penso nos adultos que não sabem ou que querem aprender, depois de adulto deve ser muito mais difícil! Desde a creche ele aprende sobre letras, sílabas, escreve algumas coisas, lê outras, mas agora chegou o momento de ler e escrever pra valer. E eu me pergunto por que o português é tão difícil? Por que não falamos como escremos? O “e” muitas vezes é pronunciado como “i”, acentuação é algo bem complexo, pra que “s” e “z”? Só o “s” bastava. “Nha”, “Lha”, “Gui” e suas variantes são combinações difíceis…

Enfim, ensinar é uma arte e eu admiro muito as professoras. As de alfabetização têm um desafio enorme, mas também devem se sentir realizadas ao ver o que conseguiram fazer. Ao perceber as dificuldades do meu filho nos deveres de casa resolvi tentar tornar o aprendizado em casa mais divertido, com jogos e brincadeiras, para ele curtir mais aprender coisas novas e não desistir quando se frustra. Ele já tinha diversos jogos no armário com os temas letras e números, mas acabava priorizando os super heróis, quebra cabeças, jogos da memória etc. Ontem pegamos o jogo “Brincando com letras”, da marca Xalingo. Ele tem 36 letras do alfabeto em madeira. As vogais são duplicadas e algumas letras também (R, S e L – não entendi o motivo do L, mas como o nome dele é Luca, adorou!). Tem também Ç e Ñ. Essa última bem desnecessária pra gente no Brasil, só consigo pensar na Praça Saens Peña… Só senti falta dos assentos, acho que podia ter umas peças com eles para colocarmos em cima das outras. A brincadeira que fizemos foi a seguinte: eu formava uma palavra e falava para ele ler. Depois eu dizia uma palavra e ele tinha que formar com as letras. Ele curtiu tanto que hoje de manhã brincamos de novo!

Leia também

Deixe uma resposta