TBT: extensor de body faz a roupa durar mais

extensor de body

(post originalmente escrito em agosto de 2011)

Sabe aquele body do filho que você adora? Mas já está pensando em passar adiante porque não fecha mais?

Está na hora de mudar de ideia! Seu pequeno vai poder circular por mais alguns meses com o body graças ao extensor de bodies. Uma ótima invenção para quem quer economizar nas compras de roupas!

Extensor de body

A marca Le Petit Pola vende o extensor de body (100% algodão) em diversos modelos: nos tamanhos pequeno, médio e grande e com dois ou três botões de pressão. Cada extensor sai por R$ 8,40. Ótima ideia, não é mesmo?

body
body

Acho que você também pode gostar desse post:

TBT: mãe chata, a desagradável tarefa de fazer-se odiar

(post originalmente publicado em agosto de 2017)

Esta crônica da Martha Medeiros caiu como uma luva pra mim. Outro dia ouvi do mais velho que com o papai ele pode fazer tudo e comigo é sempre cheio de regras, que sou uma mãe chata. Alguém tem que fazer o papel de chato da família para que tudo caminhe. Por aí você também é um sargento de saias?

Segue a crônica:

“Pais de família estão cada vez mais participativos, atuantes, necessários, afetivos, fundamentais na criação dos filhos, ao contrário do que acontecia nas gerações anteriores, quando o pai era uma figura cerimoniosa, o provedor que detinha a última palavra nas questões graves e terceirizava o resto. Hoje não. Hoje os pais deitam, rolam, se embolam, se envolvem nas pequenezas cotidianas, são quase mães.
Quase. Porque tem uma coisa que a maioria deles ainda não consegue assumir: a desagradável tarefa de fazer-se odiar.

Li essa frase num livro (em outro contexto) e achei que fechava perfeitamente com a maternidade. O que é ser mãe, senão tomar para si o papel de chata da família?

As cobranças do dia a dia são especialidade nossa: o que comeu, o que vestiu, se tomou banho, a toalha no chão, os garranchos, o blusão amarfanhado, a luz que ficou acesa, liga pra tua vó, o estado deplorável do tênis, a hora em que foi dormir, segura direito esse talher, deixa de preguiça, cuidado ao atravessar, não dorme de cabelo molhado, larga esse computador, menos palavrão, hora de acordar, a consulta no dentista, e esse amigo mal encarado, e esse decote provocante, convida os teus primos, não tranca a porta à chave, fecha a janela, abre a janela, não corre pela casa, me avisa assim que chegar, tu anda bebendo?

Não que o pai seja relapso, mas, se ele ainda vive com a mãe das crianças, a patrulha cotidiana possivelmente ficará a cargo do sargento de saias. Nós, tão femininas, tão doces, tão sensíveis, tão amorosas, não pensamos duas vezes em abrir mão desses nossos suaves atributos caricaturais a fim de manter a casa de pé, a roda girando, a vida funcionando, todo mundo no eixo. Se tivermos que ser antipáticas, seremos. Se tivermos que ser repetitivas, que jeito. Controladoras? Pois é. Alguém tem que se encarregar do trabalho sujo.

É uma generalização, eu sei, mas amparada no senso comum. Os pais mandam, ralham, brigam, mas raramente perdem a cabeça, quase nunca gritam e se estressam. Eles têm essa irritante capacidade de manter a boa reputação com os filhos. Se forem obrigados a escolher um lado durante o barraco, dirão que estão do lado da mãe, que estão de acordo com tudo o que ela disse, mas irão piscar para o filho quando ela não estiver olhando.

Ao fim e ao cabo, mães dão conta de todas as crianças da casa. Todas.

É o nosso papel: reger a orquestra familiar ofertando nosso melhor, mesmo que ele seja confundido com nosso pior. É o risco que corremos, mas não há outra maneira de educar. O excesso de zelo pode ser estafante, mas é preciso segurar o tranco de ser odiada um pouquinho a cada dia a fim de garantir um amor pra sempre”.

Leia também:

TBT: Português, uma das línguas mais difíceis do mundo
10 ideias para deixar o banheiro divertido
Filmes Escondidos no Telecine: Bao
Receita: brownie da Jana
Sobre ver o copo meio cheio
Sexta inspiradora: pratos divertidos

Festa junina drive in é novidade na quarentena
10 ideias de decoração com fita isolante
Filmes escondidos no Netflix: Rock Dog
Maternidade Real: amor infinito de mãe
Sexta inspiradora: fotos de crianças com cachorros
TBT: Túnel de tecido para levar a brincadeira para casa
10 ideias de porta-retrato diy para quarto de menino
Dica de brincadeira: basquete de copo
Drive in: opção de programa em tempos de Covid-19
Maternidade Real: Superação
TBT: Presente do irmão e para o irmão
Dica de livro: O Pote Vazio
10 ideias de cabideiro DIY para quarto infantil
Maternidade Real: Mãe x Criança
Animação em Lego: Casamento
Filmes escondidos no Prime Video: “Um Monstro em Paris”
Frase sobre maternidade: lar ou casa?

9 comments

  1. Katia Andrade comentou:

    Bem interessante,para os de mangas curtas ou regata ótima idéia….agora para os de manga longa não tem jeito,Esses dias tirei um monte do Davi….teve alguns que estava apertando nas coxas e outros parecendo manga 3/4….segunda pele…bem justinho…mas valeu a dica vou compartilhar….

Deixe uma resposta