Drive in: opção de programa em tempos de Covid-19

Drive in

Ontem fomos com as crianças ao Lovecine Drive In, que acontece na Jeunesse Arena, Barra da Tijuca (Rio de Janeiro). O programa poderia ser uma grande furada em tempos normais, mas em tempos de Covid-19 acabou virando uma ótima opção. Vou explicar o porquê.

Nostalgia

Não sei vocês, mas eu tinha a memória da minha infância de drive in, ia muito com meus pais e irmãos, ali na Lagoa, onde hoje é o Parque dos Patins. Era pertinho de casa, chegávamos, assistíamos o filme (na minha memória eram filmes novos ou nem tanto, mas não tínhamos tanta opção para assistir filmes na época), íamos embora felizes. Meus pais tinham uma Quantum com porta-malas bem espaçoso e nos colocavam no porta-malas em colchões pequenos para assistirmos mais confortavelmente. Era uma prática comum na época, tanto que os carros ficavam de costas para a tela.

Então, quando ouvi sobre a volta do drive in no poadcast “Aquelas Duas” fiquei super empolgada. Não só por ser um programa cultural possível na pandemia (estamos carentes de programa cultural há pelo menos 90 dias), mas também por mostrar às crianças uma programação que eu adorava na minha infância.

Drive in

Dicas

Não fui logo que começou, o que foi ótimo, pois peguei as dicas com minha comadre. O evento só me enviou os detalhes no próprio dia, duas horas antes do “check in” e eu nem vi o e-mail, então foi ótimo ter conversado com alguém antes e ter preparado as expectativas de todos da família. Compartilho aqui com vocês para saberem bem o que as espera e com isso curtirem o programa e não acharem que é furada. A compra de ingressos é pelo aplicativo Ame, no site https://www.lovecine.com.br/ tem as informações. O custo é R$ 110,00 por carro, achei um valor justo.

Agora sobre o evento em si, primeiro, não tem opção ainda na Zona Sul, então acabou sendo um programa um pouco mais longe. Depois, quando você chega tem fila de carros para entrar. Para as sessões infantis os portões abrem às 15h, mas se você chegar muito depois disso pode acabar pegando um lugar ruim, pois a fila já se forma antes esse horário. Nós chegamos às 15h na fila e pegamos um lugar ótimo, fomos o carro de número 100 (a capacidade é para 180 carros), ficamos na fila D, em um lugar bem central.

Sem tédio

O filme só começa às 16h45, quando minha amiga contou isso fiquei com medo de as crianças ficarem entendiadas de estar dentro do carro parado há tanto tempo (mais de 2h considerando que saímos de casa às 14h30), então me preparei levando vários petiscos e brincadeiras para fazermos enquanto esperávamos. Mas o tempo passou muito rápido, pois tem um DJ que toca por 1h e depois uma banda que também toca por 1h. As duas atrações são super animadas, interagem com o público pedindo para o pessoal tocar as buzinas dos carros. Fiquei pensando que deve ser muito estranho como artista você dar um show e não ouvir as pessoas cantando. Todos estão cantando, mas dentro de seus carros…

Não pode sair do carro, a não ser para ir ao banheiro, de máscara. O esquema do banheiro achei bem organizado. É um trailler com banheiros separados em feminino e masculino, que são limpos a cada uso, e têm um totem de alcool em gel na saída. Para utilizá-los você entra no site do evento com suas informações e aguarda na fila virtual. Quando chega a sua vez o site te avisa para sair do carro e ir ao banheiro. Também pelo site tem a possibilidade de pedir comida no carro. O serviço é do Outback, mas sobre ele não posso opinar, pois não utilizamos.

Programação musical

Os meninos cantaram, dançaram, buzinaram, curtiram cada etapa do programa. A banda Black Monkees tocou clássicos dos Beatles e eles adoraram. Quando o filme começou não estávamos cansados de esperar. Mas na reta final do filme o caçula já estava um pouco cansado e querendo voltar para casa. O filme acabou por volta de 18h15.

Sobre os filmes, achei que as opções poderiam incluir filmes mais novos, mas penso que talvez isso aconteça naturalmente e inclua até lançamentos já que os cinemas devem demorar para reabrir. Vimos “Kung Fu Panda”, o primeiro. Também tem sessões de adulto no horário seguinte. Ah, o som tanto do filme quanto das atrações musicais é pelo rádio do carro, sintonizando na Rádio Mix FM. Fica excelente! Enfim, é um programa de praticamente 4h de duração, não é para fazer sempre, mas achei que para o momento atual e sabendo como seria (pude me preparar e preparar as crianças) valeu muito a pena!

Leia também:

Sexta inspiradora: fotos de irmãos brincando
TBT: Presente do irmão e para o irmão
Dica de livro: O Pote Vazio
10 ideias de cabideiro DIY para quarto infantil
Maternidade Real: Mãe x Criança
Animação em Lego: Casamento
Filmes escondidos no Prime Video: “Um Monstro em Paris”
Frase sobre maternidade: lar ou casa?
Dia dos Namorados: 10 ideias de fotos em família
TBT: dica para a troca de fralda de um menino
Livros infantis para conversar sobre racismo com os filhos
Festa Junina: 10 ideias de decoração para fazer em casa
Filmes escondidos no Prime Video: “Mais do que uma peça”
Receita de yakissoba prático e delicioso
Dez dicas de decoração DIY com contact
Dez dicas de gentilezas para aplicar com uma mãe no pós-parto
Bouncer: a cadeirinha infantil que é um sucesso
Almofada para amamentação estampada
Faber-Castell decreta fim da cor de pele
Privada aberta nunca mais!

One comment

Deixe uma resposta