Dia Mundial de Conscientização do Autismo

O dia 2 de abril é considerado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Vamos aproveitar a data para falar sobre a importância de respeitar e não segregar as pessoas autistas. Elas têm direito à autodeterminação, independência e autonomia, assim como direito à educação e emprego em base de igualdade com outros. Ninguém pode ser deixado para trás!

O objetivo do dia 2 de abril, criado pela ONU em 2007, é dar visibilidade ao tema de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e reduzir cada vez mais o preconceito existente. 

O TEA, conhecido como Autismo, é uma condição de saúde caracterizada por dificuldades na comunicação, interações sociais e pela presença de padrões de comportamento. O autismo é considerado um espectro pois há indivíduos em vários níveis de necessidade de suporte. 

Alguns sintomas do autismo (fonte: www.autismoemdia.com.br):

  • Bebês que não buscam o olhar da mãe ao serem amamentados;
  • Crianças que não demonstram diferença entre o colo dos pais e o de desconhecidos;
  • A criança parece surda, não reconhece seu nome ou não atende ao ser chamada;
  • Interações sociais ausentes, não responde a brincadeiras de adultos ou outras crianças;
  • Não aponta para o quer, não manda beijinhos ou tchauzinho;
  • Conduz as mãos do adulto para pegar o que deseja;
  • Dificuldade de entender brincadeiras de faz de conta;
  • Comportamentos motores repetitivos (agitar de mãos, tronco ou cabeça);
  • Atraso para aprender a engatinhar e andar;
  • Caminham nas pontas dos pés e de forma “desengonçada”;
  • Atraso, ausência da fala ou ecolalia (criança somente repete palavras fora de contexto);
  • Incômodo exagerado a determinados estímulos: luz, sons, texturas;
  • Resistência a dor acima do normal, a criança não chora quando cai, por exemplo;
  • Usa brinquedos de forma incomum, por exemplo, ao invés de brincar de carrinho, se concentra na roda do brinquedo;
  • Apego exagerado a objetos;
  • Incômodo excessivo ao sair da rotina.


Alguns sintomas de autismo podem aparecer antes de um ano e meio de idade. Assim, é muito importante que se inicie o tratamento o quanto antes, mesmo que haja apenas uma suspeita, para aumentar as possibilidades de melhora na qualidade de vida. Olhe para seu filho, preste atenção e consulte especialistas sempre! Devido ao preconceito sabemos que muita gente entra na negação, mas esse comportamento só atrapalha as crianças autistas que acabam tendo o início do tratamento atrasado. Não há cura, mas há qualidade de vida com um acompanhamento adequado.

Leia também:

10 ideias de decoração com fita isolante
Filmes escondidos no Netflix: Rock Dog
Maternidade Real: amor infinito de mãe
Sexta inspiradora: fotos de crianças com cachorros
TBT: Túnel de tecido para levar a brincadeira para casa
10 ideias de porta-retrato diy para quarto de menino
Dica de brincadeira: basquete de copo
Drive in: opção de programa em tempos de Covid-19
Maternidade Real: Superação
TBT: Presente do irmão e para o irmão
Dica de livro: O Pote Vazio
10 ideias de cabideiro DIY para quarto infantil
Maternidade Real: Mãe x Criança
Animação em Lego: Casamento
Filmes escondidos no Prime Video: “Um Monstro em Paris”
Frase sobre maternidade: lar ou casa?
Dia dos Namorados: 10 ideias de fotos em família
TBT: dica para a troca de fralda de um menino
Livros infantis para conversar sobre racismo com os filhos
Festa Junina: 10 ideias de decoração para fazer em casa
Receita de yakissoba prático e delicioso
Dez dicas de decoração DIY com contact

Deixe uma resposta