Saiba como foi a nossa experiência no BioParque do Rio

BioParque

Por aqui estávamos muito animados para conhecer o BioParque do Rio porque já tínhamos ido algumas vezes ao zoológico antigo e acompanhamos à distância a obra e toda a ideia do projeto. Por causa da pandemia não pretendíamos fazer a visita tão cedo, mas um grupinho de amigos decidiu marcar o passeio e resolvemos aproveitar a oportunidade.

BioParque
Beth Santos/Prefeitura do Rio

A proposta do BioParque é muito bacana. Um novo conceito de zoológico, com respeito aos animais, priorizando o bem-estar e a conservação das espécies. Nada de animais atrás das grades, com cara de mal alimentados e exaustos.

São mais de mil animais de 140 diferentes espécies. Logo na entrada a primeira instalação é a Imersão Tropical. Você entra em uma gaiola gigante em que as aves ficam quase livres, com muito espaço para voarem e interagirem bem em cima das suas cabeças. Como eles mesmos dizem, é uma experiência imersiva de cores, sons e movimentos.

BioParque
Beth Santos/Prefeitura do Rio

E por todo o BioParque o clima é esse: animais parecem ser bem tratados, felizes, com espaço para circular e respeito por suas necessidades e horários. Não conseguimos ver o urso inclusive por causa disso, chegamos bem na hora de ele se alimentar e a visitação foi fechada para fazê-lo em paz. As crianças ficaram um pouco decepcionadas (e depois não conseguimos voltar), mas deu uma satisfação saber que os animais estão sendo respeitados.

Eles adoraram ver o leão, o elefante, hipopótamos, macacos, cobras etc. O que ainda não tem é girafa (sentimos falta). Outra coisa que ainda não está funcionando é o passeio de barco em meio a animais da savana africana. A Fazendinha é uma atração paga à parte, não chegamos a ir, pois me pareceu para crianças menores.

elefante
Beth Santos/Prefeitura do Rio

Tudo está novinho, limpo e bem organizado, esperamos que continue assim. Os cuidados de higienização contra a Covid-19 sendo seguidos, sinalização de distanciamento, alcool em gel e funcionários o tempo todo pedindo para as pessoas colocarem as máscaras direito. O ponto negativo foi a lotação. Eu tinha lido que o BioParque abriria com 30% da ocupação, mas achamos bem cheio, não sou muito boa desses cálculos populacionais, mas eu chutaria que estava com 80% da capacidade. O parque só está funcionando com agendamento e os ingressos são comprados pela internet. O bilhete individual custa R$ 39,75 (tarifa normal) e R$ 19,87 (tarifa reduzida para estudantes, idosos e pessoas com deficiência). Também há a possibilidade de ficar sócio e visitar quantas vezes quiser por um período de 365 dias. O custo é de R$ 80,00 para o sócio e R$ 60,00 para cada dependente.

leão
Beth Santos/Prefeitura do Rio

Abaixo, mais detalhes sobre as atrações do BioParque:

SAVANA AFRICANA

O lar de algumas espécies emblemáticas da vida terrestre! Conhecida pelos seus longos períodos de seca seguidos por temporadas de chuva, aqui você terá a oportunidade de conhecer espécies que sobrevivem a situações extremas e que existem em nosso imaginário desde criança!

CARNÍVOROS

Algumas espécies deste ambiente são fáceis de encontrar em quase todo território brasileiro, porém estão ameaçadas de extinção. Mesmo sendo de pequeno porte, possuem grandes habilidades, dentes e garras afiadas para capturar.

ASIÁTICOS

Esse é o lar de uma das maiores e mais inteligentes espécies do planeta! Já conseguiu identificar qual é? A Ásia possui um dos territórios mais extensos do planeta terra, por isso conta com diversos tipos de vegetações e climas, o que faz variar o seu solo e o estilo de vida dos povos e também dos animais.

IMERSÃO TROPICAL

Nesse ambiente você encontrará espécies de variados ecossistemas tropicais. Algumas dessas espécies que participam dos projetos de conservação do BioParque do Rio estão ameaçadas de extinção. Prepare-se para uma experiência imersiva de cores, sons e movimentos.

VILA DOS RÉPTEIS

Aqui vivem espécies que utilizam do calor do sol para manter sua temperatura corpórea, por isso é muito comum encontrá-los tomando um banho de sol! Alguns são predadores e ocupam o topo da cadeia alimentar. Conheça um mundo de serpentes, jacarés e quelônios.

ILHA DOS PRIMATAS

Neste ambiente você encontrará espécies que pertencem à maior floresta tropical do mundo, das 156 espécies de primatas encontradas na América do Sul, 60% estão na Amazônia brasileira. Além de abrigar aproximadamente 20% de todas as espécies da fauna do planeta, a floresta amazônica é extremamente importante para a manutenção do clima no mundo.

FAZENDINHA

Abra a porteira e conheça espécies típicas de fazendas com diversão e lazer inesquecíveis. Aqui você poderá tocar, acariciar e alimentar de forma supervisionada. Todos os nossos animais são tratados por veterinários especializados e seguem uma dieta alimentar controlada. Sócios BioParque do Rio possuem descontos especiais nessa atração.

*A experiência da Fazendinha é um produto à parte e está sujeita a lotação.

REIS DA SELVA

Esse ambiente é o lar de predadores conhecidos. Alguns possuem hábitos noturnos e podem saltar distâncias superiores a 10 metros e alcançar velocidades de 80 km/hora ao correr. Outros possuem a força mandibular maior que a de qualquer outro de sua espécie. Pronto para descobrir quem são?

CERRADO

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, cerca de 5% de toda a biodiversidade do planeta se encontra nele. Presente nas cinco regiões do país ele é uma reserva de biodiversidade com diversas espécies exclusivas desse bioma e estão ameaçados de extinção, por este motivo sua conservação é de extrema importância

JARDIM BURLE MAX

Esse jardim foi concebido de um projeto de um dos maiores paisagistas do Brasil e do mundo, Roberto Burle Marx, desenvolveu esse projeto para o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro em 1946, conceituando um local para aves aquáticas. Outros projetos que você deve conhecer são o Parque do Flamengo, o Parque Ibirapuera, os jardins do Palácio da Alvorada e o Jardim do Museu de Arte Moderna

JARDIM BURLE MAX

Esse jardim foi concebido de um projeto de um dos maiores paisagistas do Brasil e do mundo, Roberto Burle Marx, desenvolveu esse projeto para o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro em 1946, conceituando um local para aves aquáticas. Outros projetos que você deve conhecer são o Parque do Flamengo, o Parque Ibirapuera, os jardins do Palácio da Alvorada e o Jardim do Museu de Arte Moderna.

Leia também:

10 ideias de decoração com fita isolante
Filmes escondidos no Netflix: Rock Dog
Maternidade Real: amor infinito de mãe
Sexta inspiradora: fotos de crianças com cachorros
TBT: Túnel de tecido para levar a brincadeira para casa
10 ideias de porta-retrato diy para quarto de menino
Dica de brincadeira: basquete de copo
Drive in: opção de programa em tempos de Covid-19
Maternidade Real: Superação
TBT: Presente do irmão e para o irmão
Dica de livro: O Pote Vazio
10 ideias de cabideiro DIY para quarto infantil
Maternidade Real: Mãe x Criança
Animação em Lego: Casamento
Filmes escondidos no Prime Video: “Um Monstro em Paris”
Frase sobre maternidade: lar ou casa?
Dia dos Namorados: 10 ideias de fotos em família
TBT: dica para a troca de fralda de um menino
Livros infantis para conversar sobre racismo com os filhos
Festa Junina: 10 ideias de decoração para fazer em casa
Receita de yakissoba prático e delicioso
Dez dicas de decoração DIY com contact

Deixe um comentário