Mitos e verdades sobre o sono do bebê

Para mim, uma das maiores dificuldades da maternidade é a privação do sono. Gravidez, amamentação, cuidados com o bebê, cólicas… Tudo isso a gente vai aprendendo a lidar. Mas ficar sem dormir? Isso tira o humor de qualquer uma e transforma a mãe angelical em madrasta de filme da Disney. Calma! Se você está com um bebê pequeno em casa ou ainda vai ser mãe, não precisa se desesperar. Estou dramatizando um pouco porque sempre gostei de dormir… Em parceria com a Rojas Comunicação publico aqui alguns mitos e verdades sobre o sono do bebê, material preparado pela pedagoga e consultora do sono infantil, Ana Flávia Andreoli. A consultoria do sono infantil tem como objetivo esclarecer e ajudar as famílias a estabelecerem bons hábitos de sono e ensinar suas crianças a dormirem melhor. Amém!

1- Manter meu bebê acordado e ativo durante o dia, e não deixá-lo adormecer, fará com que ele durma melhor durante a noite.

MITO – Quando nascem, os bebês dormem cerca de 17 a 20 horas por dia nas primeiras semanas e acordam, praticamente, só para se alimentar. Nessas horas de sono, incluem-se as sonecas do dia, que devem ser três ou quatro no primeiro mês de vida. Os bebês que não realizam as sonecas durante o dia tendem a ter mais dificuldades para dormir, ficam mais irritados e acordam mais vezes durante a noite. Essa irregularidade de sono provoca a diminuição da resistência a infecções e favorece o ganho de peso.

2 – É possível ensinar meu bebê a adormecer sozinho.

VERDADE – É importante proporcionar essa autonomia à criança desde o primeiro dia de vida, pois influencia, inclusive, no desenvolvimento dos bebês. A orientação é que a mamãe coloque o bebê no berço quando parecer cansado, ainda estando acordado, porém já sonolento, para que ele adormeça sozinho.

3 – Os pais devem se adaptar aos horários do bebê. Ou o bebê deve se adaptar à vida que os pais levam.

MITO – Os pais não devem se adaptar à rotina do bebê e nem o bebê à rotina dos pais. É importante que os pais compreendam que o bebê necessita de uma organização de horários diferente dos adultos, por isso o ideal é que, por exemplo, ele não frequente festas noturnas ou tenha horários variados de alimentação e sono, para que não tenha seu desenvolvimento pleno prejudicado. Já aos pais é importante que mantenham seus momentos de casal e tenham seus horários de alimentação e sono de acordo com a vida que escolheram. Ou seja, é uma adaptação de ambas as partes, mas cada rotina deve ser respeitada.

4- Estabelecer uma rotina é fundamental para a criança durante toda a infância.

VERDADE – A rotina tem como objetivo principal o desenvolvimento da autonomia da criança, e isto a torna mais segura externa e internamente. Através dela, a estrutura psíquica e física da criança se organiza, e ter prazos e horários estabelecidos traz tranquilidade e confiança para os pequenos, fazendo com que eles não se sintam tão ansiosos. Promover essa autonomia em todas as fases da infância e da adolescência permite que formemos adultos mais responsáveis, organizados e seguros.

Foto: blog. etsy.com

Leia também

Deixe uma resposta